sexta-feira, 20 de maio de 2016

As 12 leis do Karma

Achei lindo, verdadeiro e transformador, por isso compartilho por aqui:


1. A Grande Lei:
Colhemos o que plantamos, o que quer que façamos no Universo, nos volta!

2. Lei da Criação:
A vida não apenas acontece, ela requer nossa participação. Temos que fazer em nos o que queremos em nossa vida.

3. Lei da Humildade:
O que nos recusamos a aceitar, continua a existir em nós. O mundo espelha nossos traços.

4. Lei do Crescimento:
Onde formos, lá estaremos para crescer em espírito. Somente mudando nossa vida podemos influenciar o outro.

5. Lei da Responsabilidade:
Sempre que algo esteja errado devemos fazer um exame de nossa responsabilidade.

6. Lei da Conexão:
Mesmo que algo pareça desconectado, é importante entender que no universo tudo está conectado.

7. Lei do Foco:
Não podemos pensar duas coisas ao mesmo tempo. Foque sempre em emoções e pensamentos positivos.

8. Lei da Doação:
Seremos chamados para colocar em prática o que dizemos acreditar.

9. Lei do Aqui e Agora:
Tudo acontece apenas no Agora, é preciso desapegar do passado e da ansiedade com o futuro.

10. Lei da Mudança:
A história se repete até aprendermos as lições que necessitamos para mudar nosso trajeto.

11. Lei da Paciência e Recompensa:
Todas as recompensas requerem trabalho inicial. Recompensas de valor duradouro pedem labuta paciente e persistente.

12. Lei do Significado e da Inspiração:
O valor de algo é o resultado direto da energia e intenção colocada nele. Cada contribuição pessoal é também uma contribuição ao todo.



Fica para mim uma prática diária de reflexão, intenção e escolhas!




sexta-feira, 6 de maio de 2016

Psicoterapia para que?


Muitas vezes me deparo na prática do consultório com casos onde o paciente faz uso de antidepressivos ou algum tipo de estabilizador de humor. Sinto que esta é uma questão bastante delicada a se abordar, pois pessoalmente evito ao máximo o uso de qualquer tipo de medicação (por inúmeros motivos) e procuro trazer a reflexão sobre os sintomas, a função da medicação, a necessidade real do uso, a atenção ao próprio corpo e as próprias emoções, etc.

Há poucos dias me deparei com um artigo, compartilhado em rede social por uma colega, que me fez refletir. De uma forma bastante sucinta a autora coloca a importância fundamental da psicoterapia associada ao uso da medicação.


Compartilho aqui pois acho que sempre vale o olhar sobre este assunto:


Os estudos mais recentes vêm mostrando que os antidepressivos restauram a capacidade de determinadas áreas do cérebro a fim de contornar rotas neurais cujo funcionamento não está normal, mas essa mudança só trará benefícios se acompanhada de uma mudança do paciente – mudança esta obtida através da psicoterapia.

Essa mudança no “hardware” do cérebro só trará benefícios se houver uma mudança no “software” – o comportamento do paciente – algo que não é suprido pelos antidepressivos, só podendo ser alcançado mediante a psicoterapia ou terapias de reabilitação.


O alerta está sendo feito pelo neurocientista Eero Castrén, da Universidade de Helsinque (Finlândia).
Milhões de pessoas em todo o mundo tomam antidepressivos seguindo receitas de seus médicos, e as empresas farmacêuticas têm faturado bilhões de dólares vendendo essas drogas. 

Os antidepressivos reabrem uma janela da plasticidade cerebral, que permite a formação e a adaptação de conexões cerebrais através de atividades específicas e observações do próprio paciente, de forma semelhante a uma criança cujo cérebro se desenvolve em resposta a estímulos ambientais. Quando a plasticidade cerebral é reaberta, problemas causados por “falsas conexões” no cérebro podem ser tratadas – por exemplo, fobias, ansiedade, depressão etc.

Pesquisas em modelos animais demonstram que os antidepressivos não são uma cura por si só; Em vez disso, o seu papel é o de restaurar a plasticidade no cérebro adulto.


A equipe do Dr. Castrén mostrou que os antidepressivos sozinhos não surtem efeitos para esses problemas. Quando antidepressivos e psicoterapia são combinados, por outro lado, obtém-se resultados de longa duração.

“Simplesmente tomar antidepressivos não é o bastante. Nós precisamos também mostrar ao cérebro quais são as conexões desejadas,” disse o pesquisador.
 
A necessidade de terapia em conjunto ao tratamento medicamentoso também pode explicar porque os antidepressivos às vezes não têm efeito.

Se o ambiente e a situação do paciente permanecerem inalterados, a droga não tem capacidade para induzir mudanças no cérebro, e o paciente não se sente melhor.

(Autor: Debora Oliveira )

(Fonte: deboraoliveirapsicologa.blogspot.com.br )

Leia mais: http://www.fasdapsicanalise.com.br/antidepressivos-sem-terapia-nao-tem-efeito-aponta-pesquisa/#ixzz47c69n8q2

quinta-feira, 5 de maio de 2016

Psicoterapia Infantil

O que é e para que serve a psicoterapia para crianças?




Muitas vezes, frente a mudanças de comportamento dos pequenos, os adultos se perguntam:"O que será que está acontecendo com essa criança? Ela não era assim..."

Nem sempre é fácil perceber o que acontece no "mundo interno" de uma criança, pois ela encontra-se em constante desenvolvimento, curiosa, explorando, conhecendo e questionando o mundo, construindo e descobrindo o seu jeitinho de viver, passando por mudanças diárias em sua vida...
Além de sua familia, ela encontra-se inserida em uma rede de relações (familiares, vizinhos, amigos, escola...), que desempenham importante papel na construção do seu crescimento pessoal.
Na relação com essas pessoas, a criança pode encontrar dificuldades em entender as dificuldades ou problemas que acontecem com os pais, familiares e outros adultos.
A vida é sempre cheia de mudanças, mas quando elas acontecem na vida de uma criança, ela pode sentir-se confusa e não entender com clareza o que está acontecendo na realidade.

Alguns exemplos são: perdas ou situações traumáticas (acidentes, doenças, mortes, mudanças de casa, cidade, escola), separações, recasamentos, chegada de um novo membro na família, segredos em família, etc.
Sendo assim, a criança pode reagir de diversas maneiras. Muitas vezes se isola, fica mais quietinha, evita falar, pode ficar mais agitada ou demonstrar tristeza através de choro fácil ou agressividade, timidez, insegurança, pode fazer sintomas físicos como alergias, voltar a fazer xixi na cama, ou dificuldade de ir ao banheiro, dificuldade para adormecer ou acordar assustada, passa a roer unhas, sentir dores, entre tantos outros sintomas. Tudo isso demonstra que de alguma forma a criança esta tentando reagir à situação difícil, ela sofre e não consegue entender o que esta acontecendo de uma forma clara.

Também é bastante comum queixas no ambiente escolar, pois é onde a criança relaciona-se com iguais e passa boa parte de sua rotina. Na maioria das vezes as questões que envolvem mudanças no comportamento da criança na escola não são só educacionais.
É comum a procura pelo pediatra para avaliar os sintomas da criança, que com um exame clínico cuidadoso pode constatar que a conversa com um psicólogo pode ajudar neste momento.




E aí surge a pergunta: "Será que crianças precisam ir ao psicólogo?"
Em muitos casos as doenças mais comuns são as respiratórias, vômitos ou dificuldade em alimentar-se, dores de barriga, dores de cabeça, e até febre sem causa orgânica que justifique tais sintomas. Isto o que chamamos de doenças Psicossomáticas.

Em todos estes momentos a criança está tentando expressar algo, colocando-se da maneira que é possível, da maneira que consegue dentro de sua capacidade cognitiva, enfrentar a situação de estresse.

E para ajudar a entender e esclarecer melhor todas estas questões, mostra-se importante e necessária a Psicoterapia!
Normalmente a primeira sessão acontece com os pais, para que em conjunto ao psicólogo possam entender e elaborar a melhor forma de lidar com as dificuldades. O terapeuta familiar entende que o sofrimento de um membro da família é sentido por todos os outros e o trabalho em conjunto é muito importante. Dessa forma é possível solucionar as questões mais rapidamente, tornando o ambiente familiar propício, atento e aberto para as possíveis mudanças.







quinta-feira, 21 de abril de 2016

Yamas e Niyamas



A ética do Yoga...


Compartilho aqui um pouco do venho aprendendo com minha prática diária de yoga e os estudos na capacitação que venho realizando. Yoga transforma, liberta, reconecta... Pessoalmente quanto mais estudo mais percebo que tenho muito a praticar e a estudar, um conhecimento milenar e sempre tão atual.



Como duas das partes, do formato óctuplo, do Yoga de Patanjali, Yamas e Niyamas apresentam-se como formas, passos, condutas éticas e disciplina que fundamentam a prática de yoga na busca por alcançar um estado de equilíbrio e autoconhecimento.




Os Yamas, podem ser entendidos como condutas de harmonização do homem social, orientações para as relações com o “mundo externo” na busca de paz e equilíbrio. 

Ahimsa (não violência ou não ser agressivo), não matar, não agredir, não ferir, nem causar nenhum tipo de dor, não desejar o mal a nenhum ser vivo (ou objeto). Pode ser entendida como base ou raiz para todas as condutas morais, pois se não desejo e não causo mal a nada nem ninguém posso experimentar sentimentos de bondade, benevolência e equilíbrio.Ser firme em posturas e pensamentos, ter clareza entre o certo e o errado, atenção e certeza aos próprios princípios e não fraquejar frente a opiniões alheias. 

Satya (veracidade, sinceridade) refere-se a pensamentos honestos e puros, livres de maldade ou julgamento, pensamentos coerentes levando a ações coerentes, com os outros e consigo mesmo. Quando existe o compromisso com a verdade, nosso coração pode encontrar-se puro e em paz.


Asteya (não furtar, não roubar, não cobiçar) de uma maneira mais ampla significa “não desejar o que não seja seu”, ou seja, não Invejar. Mas o que é de fato meu? O que realmente eu desejo? De que eu realmente preciso? Como sou influenciado pelo meio social? Consciência, autoconhecimento são extremamente necessários. 
Sentir-se grato à suas histórias, às suas escolhas e oportunidades, ao que lhe cabe, ao que lhe motiva. Ter a capacidade de apreciação sem apego, entender que cada coisa tem o seu papel e não necessariamente precisa ser seu. Um coração grato consegue enxergar a “divindade” ou “força criadora/criativa” em tudo que existe, em todas as possibilidades, e todos fazemos parte deste Tudo maior, onde existe a plenitude, simplicidade, gratidão e amor!

Brahmacharya (continência, celibato, domínio das energias) tem em seu significado: “fluir com Brahma”. Sendo assim, pelo meu entendimento não vejo este yama como a necessidade do celibato ou uma proibição assustadora, mas como uma necessidade de “controle” sobre os impulsos sexuais. O desejo sexual pode ser visto como uma das maiores distrações, ou forma ilusória de viver, pois é possível perceber o quanto dispersa e dissipa a energia pessoal em buscas por status, riquezas, poder, fama, levando à promiscuidade e muitas vezes a vícios como álcool e drogas.

A busca pelo sexo traz o pensamento para o meio externo e assim a armadilha da ilusão e do desejo. Por ser mulher, acredito que condutas de vaidade exagerada, busca pela juventude eterna, e vida baseada em aparências estão afetadas por esta energia sem disciplina e consciência. No homem, a importância demasiada em conquistas sexuais buscando autoafirmação leva a uma serie de sofrimentos e desgastes.O impulso sexual é algo natural, pertence à condição humana, porém devidamente compreendido e orientado à amorosidade, autocontrole e prática saudável.

Aparigraha (desapego, não possessividade), praticando o desapego, nos tornamos mais livres. Perguntas reflexivas:O que me prende? O que me pertence? Onde está minha âncora ou porto seguro? De que eu realmente preciso? Internamente, tudo que temos é a consciência, consciência esta que é Divina e nos acompanha sempre, além do espaço e tempo. Assim, "Sou livre dentro de mim, onde habita todo o universo, então já me encontro inteiro com o todo!"Saber viver em Verdade, Simplicidade e Amor com sabedoria e consciência. 




Os Niyamas podem ser entendidos como a base moral do Yoga. São ações mentais, práticas de “observância”, pensamentos positivos que visam o “bem viver” do homem em seu “mundo interno”.

SauchaBeleza, limpeza. O conceito de “limpeza”, entendido como “pureza” e “ser puro”, tem seu significado permeado em evitar más companhias, não falar coisas feias, sujas ou impuras, afastar-se de pessoas com vocabulário agressivo, grosseiro ou que possam diminuir o outro, desprezo ao semelhante ou condutas muito centradas no Ego. 


Santosha: contentamento. Gratidão onde estou, gratidão até onde posso chegar, gratidão a tudo que já fui, e as mudanças e movimentos diários que me transformam.


Tapas: auto superação, disciplina. Força, esforço, foco, busca por um objetivo. enfrentar desafios conhecidos e desconhecidos com coragem, consciência e sabedoria, e uma vez enfrentados o grande cuidado é com o orgulho e vaidade.


Svadhyaya: estudo dos livros sagrados, estudo de si mesmo. Consciência, autoconhecimento, conexão com o divino. 


Ishivara Pranidhana, ou entrega ao absoluto. A confiança plena na existência de um Ser Supremo!


Para mim a leitura e reflexão sobre o tema já provoca mudanças e questionamentos transformadores...


Em Blumenau/SC espaços especiais de prática de Yoga:

Gandharva Yoga e Terapias:R. Epitácio Pessoa, 73 - Jardim Blumenau, Blumenau - SC, 89010-520Telefone:(47) 3234-3143

Studio Gam:Rua Nereu Ramos, 654, térreo, Centro, Blumenau- SC Telefone:(47)3237-4256

Namah Centro de Yoga:telefone:(47) 9937-9030Rua Uruguai, 39 Ponta Aguda Blumenau/SC
















terça-feira, 19 de abril de 2016

Movimento Criativo!!!

                          Nasce um novo projeto!!!



  Sabemos que é através da brincadeira que a criança organiza seu mundo interno, suas emoções, fantasias, experimenta situações e treina suas habilidades sociais. Em grupo ela pode reconhecer-se como ser social.
  Acreditando na infância como base para a construção de um ser humano consciente, seguro de suas escolhas e feliz, nós da Casa da Tia Arteira desenvolvemos atividades lúdicas e terapêuticas com o objetivo de criar espaço para a criança expor e organizar seus sentimentos, conhecer e desenrolar seu mundo interno e experimentar com segurança e liberdade junto ao grupo inúmeras experiências onde a conversa e o brincar promovem saúde e bem estar.



  Com base em conhecimentos de psicologia da educação, terapia familiar, técnicas colaborativas, psicomotricidade, dinâmicas de grupos, filosofia da yoga, etc. Criamos um espaço onde através de jogos terapêuticos, contração de histórias, oficinas, fantasias, culinária, atividades de circo, yoga, técnicas de relaxamento e respiração, atividades ao ar livre, roda de conversa, aconselhamento, entre outras, a criança poderá experimentar sentimentos e sensações visando resolver seus conflitos internos.


  Montamos estratégias para trabalhar questões emocionais buscando habilidades como: cooperação, reflexão, liderança, negociação, socialização, etc. Buscando o autoconhecimento, trabalhando autoestima e autoimagem, sensibilidade, empatia, reconhecimento dos sentimentos, atenção as atividades propostas serão sempre acompanhadas de psicólogo, educador físico e recreacionista, visando um trabalho amplo e completo.



  Atualmente a ansiedade, insegurança, teimosia, timidez, medos, fobias, angústias e tristezas são alguns dos sintomas comuns que nossas crianças apresentam devido a vida agitada, dificuldades em compreender situações estressantes, mudanças, situações traumáticas ou quaisquer outras causas que venham a desorganizar seu mundo interno.


  Inicialmente será realizada uma entrevista com os pais visando esclarecer dúvidas e entender a busca pelo trabalho. Após isso são definidos 5 encontros semanais com a criança no grupo terapêutico,  finalizamos com uma devolutiva aos pais onde reavaliamos a necessidade da continuidade do trabalho ou o encerramento dos encontros. Também existe a opção de encontros livres, sempre que a criança ou os pais sentirem vontade ou necessidade de participar.



  Os encontros acontecem na Casa da Tia Arteira (Rua Germano Westarb, 155 Vorstadt - Blumenau/SC).
  Todas as segundas feiras das 13:30h as 16:30h.  
  Ligue pra gente e agende uma tarde experimental: (47) 3209-9172

                                       Vem brincar com a gente!!!










sexta-feira, 26 de abril de 2013

San Gimignano...

A passagem por aqui foi rápida e inesquecível...

 

 Basta um breve passeio pelo centro histórico da cidade para entender por que San Gimignano é considerada um tesouro artístico e arquitetônico, conquistando assim o título de patrimônio da Unesco.



As praças e as lojas da cidade merecem visita. A chamada praça da cisterna, bem no centro de San Gimignano, poderia facilmente ser um set cinematográfico por sua perfeição, romantismo e ar medieval. Enquanto a praça com o Duomo ainda é o centro político e religioso da cidade, a Piazza della Cisterna, com o seu poço projetado em 1287, é o principal ponto de encontro de turistas e moradores. Ali, muitos visitantes costumam jogar moedas, repetindo a tradição da Fontana di Trevi, em Roma, e fazer uma pausa para um sorvete italiano ou um café expresso.

Na mesma praça encontra-se uma premiada "gelateria" italiana que, a qualquer hora do dia, é facilmente reconhecível por uma enorme fila de clientes.


Ainda no centro histórico, um passeio pelas lojas de artesanato e especialidades gastronômicas é algo que vale muito ser feito. Peças de couro, cerâmica e madeira, finos artigos de papelaria, vinhos, azeites, açafrão, o macarrão tipo "pici", mais largo que o spaghetti, são algumas das especialidades locais.



 Fantástica cidadezinha medieval... Conservadíssima, ainda hoje é cercada por seus muros. De longe, para quem chega, vê-se edifícios altos, parecendo uma cidade moderna, mas na realidade são torres, usadas na fortificação, para a defesa do local. Suas torres altas e marcantes na paisagem antiga,  deram origem do apelido “Manhattan da Idade Média”.
 Ao mesmo tempo, a população competia criando tecidos coloridos e enormes, que eram estendidos nas torres, ganhando os maiores e mais coloridos. Visitar San Gimignano é entrar numa máquina do tempo e estar num castelo medieval.

Encantadora Monteriggioni...




Montiriggioni surge de repente em uma curva da estrada com seus muros ainda bem preservados, em plena região de Chianti. Foi construída no início do século XIII e logo se transformou em um posto militar com o objetivo de defender as fronteiras do norte de Siena contra as invasões florentinas.



 Uma pequena joia no coração da Toscana... foi assim que muitos me falaram de Monteriggioni, e ela é exatamente isso! Cidade micra... em 10 min de caminhada você percorre suas ruas... na verdade é como se você estivesse dentro de um castelo, cercada por muralhas com uma praça, uma igreja, algumas casas, poucas lojas, alguns bons restaurantes e hotéis... 


 Super recomendo esta pérola de restaurante... Il Pozzo
Fundado em 1969, funciona em um casarão rústico e elegante. No verão é possível almoçar na varanda. Oferece massas e doces artesanais, além de carnes e queijos da região. Como entrada, o menu oferece risoto de funghi ou ravióli de trufas, e como pratos principais, cordeiro grelhado e coelho alla chiantigiana.
Piazza Roma, 20 - Monteriggioni – Siena
Tel.: 00 +39 0577 304 127.
http://www.ilpozzo.net/index.html








 
 
 Minhas lavandas sempre presentes... eu procuro ou elas me encontram???

 Perdemos por poucos dias... mas deve ser lindo! Uma noite com degustação de produtos locais e observação de estrelas...

Domenica 12 Agosto, a partire dalle 20, il castello di Monteriggioni (SI), ospiterà la manifestazione "Calici sotto le stelle", organizzata dal Comune di Monteriggioni, in collaborazione con il Consorzio Chianti Colli Senesi e il Centro Commerciale Naturale del Castello.

La serata prevede degustazione e vendita di vini e prodotti tipici delle Aziende del Consorzio Chianti Colli Senesi e osservazione delle stelle con i telescopi dell’Osservatorio dell’Università di Siena.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails